Análise Mouse CM MasterMouse Lite S

0
33


Uma prática que está se tornando comum são marcas lançando múltiplas versões do que parece ser o “mesmo mouse”.

Uma versão com sensor topo de linha para jogadores exigentes de FPS, outra versão mais barata para quem usa o PC para MOBAS e só quer um mouse confortável e resistente, sem a necessidade da melhor precisão possível.

Exemplos são:

  • CM MasterMouse S (R$ 150) e CM MasterMouse Lite S (R$ 80)
  • Cougar Minos X3 (R$ 160) e Cougar Minos X1 (R$ 80)
  • Logitech G Pro (R$ 280) e Logitech G203 (R$ 140)



Em ordem: CM MasterMouse Lite S, CM MasterMouse S, Cougar Minos X1, Logitech G203 e Logitech G Pro

Embora pareça estranho e cause confusão, existem razões para estas empresas lançarem mouses diferentes com a mesma carcaça, e em alguns casos até a mesma PCB: redução de custos. A economia com tooling (todo o maquinário necessário para produção) permite que estes mouses “duplicados” tenham preços mais competitivos que concorrentes.

O problema é esta questão para o público:

Por que pagar o dobro por algo que parece ser o mesmo mouse?

O CM MasterMouse Lite S é um mouse que queríamos ter analisado na nossa análise de 27 mouses baratinhos, mas infelizmente não conseguimos ele na época. Agora, que temos ele e o seu irmão CM MasterMouse S, vamos lançar as análises de ambos.

Só que agora vamos complicar ainda mais as coisas para o público. Embora pareça, o mouse desta análise é diferente do mouse que acompanha o combo CM MasterKeys Lite L:



Na esquerda, o Lite S vendido avulso. Na direita, o MasterKeys Lite L que acompanha o combo.

Ou seja, esta análise, mais especificamente os testes de desempenho, não é válida para o combo CM MasterKeys Lite L, e há três diferentes variantes deste mouse.

Também achamos tudo isto confuso e não gostamos dos nomes utilizados pela Cooler Master, por isso vamos chamar esse mouse apenas de “Lite S” durante esta análise.

Ergonomia e Construção Externa

É importante lembrar que existem formas que usuários podem manusear seus mouses, estas que chamamos de pegadas. As três principais são:

O Lite S é idêntico em ergonomia ao seu irmão MasterMouse S e similar em visual, razão por que há tanta confusão entre estes dois modelos. O que diferencia cada um deles, é o aspecto do plástico usado na carcaça, o Lite S sendo mais “limpo” e parece ser mais aderente, enquanto o MasterMouse S parece “mármore” e esconde melhor sujeiras e manchas em sua superfície.

O Lite S pesa 86 gramas (sem o cabo) e pode ser usado pela pegada Palm por quem tiver mãos pequenas, mas pessoas com mãos grandes ou médias não vão conseguir usar esta pegada:

O real foco do mouse, são as pegadas Claw e Fingertip, com as quais ele tem se adapta muito bem:


E para quem quer deixar ele ainda mais leve, é possível remover um chumbo de 17 gramas do seu interior, deixando o mouse com apenas 69 gramas, embora a qualidade da cola usada nos pés de deslize dele não seja boa e abrir ele possa acabar danificando eles, o que aconteceu com a nossa unidade.

Embora seu design seja “ambidestro”, o Lite S é um mouse que claramente favorece destros ao colocar botões apenas em sua lateral esquerda:

Em seu acabamento, o Lite S utiliza apenas um plástico fosco de alta qualidade, sem nenhuma espécie de emborrachamento. É similar ao plástico usado por mouses como o Logitech G203 e Razer DeathAdder Elite, por isso passa mais confiança do que o acabamento de plástico barato emborrachado de alguns concorrentes.

Embaixo do mouse encontramos três pés de teflon, os quais possuem um deslize adequado:

Algo pessoal e que acho legal dos mouses da linha MasterMouse, é que estes possuem LEDs, mas foram implementados como underglow (estão posicionados embaixo da parte traseira do mouse), o que dá um ótimo aspecto à aparência deles sem ficarem espalhafatosos, sendo bonitos e elegantes, ao invés desse carnaval que a Motospeed faz:

Um dos detalhes que diferenciam o Lite S e MasterMouse S, está no cabo. Enquanto o Lite S utiliza um cabo emborrachado similar em qualidade ao de mouses genéricos, o MasterMouse S utiliza um cabo que é uma mistura de borracha e PVC, tendo alta flexibilidade mas também passando uma maior impressão de durabilidade.

O Lite S pode ser quase idêntico ao MasterMouse S por fora, o que é algo excelente pois ambos são bem feitos externamente, mas essa é a principal razão para o público se confundir entre os dois. Ambos utilizam plástico de alta qualidade, possuem um deslize razoável, uma ergonomia interessante para quem possui a pegada Claw ou Fingertip e a maior diferença visível externamente está em seus cabos.

Para a sua faixa de preço, a construção externa do Lite S é caprichada e superior à de vários concorrentes, mesmo não tendo cabo em nylon ou conector banhado a ouro (algo que não faz diferença como o marketing de diversas marcas dizem fazer).

Construção Interna

Construção Interna é a principal responsável pela durabilidade de um mouse. Se forem utilizados componentes de alta qualidade, as chances de ocorrerem problemas com o tempo serão baixas. Se o mouse utilizar componentes de baixa qualidade, conectores internos e/ou soldas mal feitas, ele pode acabar sendo uma bomba relógio.

Embora alguns mouses possam parecer o “mesmo” por fora, o que é o caso do MasterMouse S e Lite S, abrindo eles nota-se que são totalmente diferentes um do outro:

Não adianta baixar o software do MasterMouse S e tentar trocar as cores, DPIs e usar macros no Lite S, pois ele simplesmente não possui os componentes que permitem estes recursos. A placa lógica dele é idêntica à de mouses de R$ 20~40.

Mesmo a placa lógica sendo idêntica à de mouses genéricos, o Lite S é um mouse bem feito em seu interior. Componentes de alta qualidade quase iguais aos que são usados no seu irmão MasterMouse S e em outros mouses topo de linha, garantem a ele uma excelente durabilidade, razão por que este mouse é aconselhado para jogadores de MOBA e jogadores casuais, que priorizam um preço e durabilidade, acima de precisão.

Para seu preço, a construção interna do Lite S é boa, mas não é superior à do concorrente Cougar Minos X1 e nem está acima do Zalman ZM-M250, que custa metade de seu preço.

Desempenho

É aqui que mouses da faixa dos R$ 40~80 costumam falhar. E o Lite S (não confundam com o mouse do combo MasterKeys!) não é nenhuma exceção.

Para início de conversa, o Lite S utiliza o sensor Pixart PAN3509DH, um sensor que segundo a própria Pixart, foi projetado para mouses de escritório, e foi visto em alguns mouses da nossa análise de 27 mouses baratinhos.

É o mesmo sensor que é colocado em alguns mouses de R$ 20. E o que exatamente muda de um sensor de escritório para um sensor gaming? Vamos ver a seguir:

Começando, todos os testes foram realizados utilizando um mousepad RISE M4A1, o qual possui estampas e tem um nível de qualidade similar ao Razer Goliathus Speed.

Primeiro, temos o teste de consistência de rastreio. Basicamente ele testa o que o nome diz, mostrando se por acaso há distorções no rastreio do mouse. Para realizar ele, é usado uma ferramenta chamada MouseTester.

O Lite S possui uma única taxa de atualização: 125 Hz. Este foi o teste usando o mousepad RISE M4A1:

A princípio, seu sensor foi bem implementado, o que nada mais é do que uma obrigação. Diferente de algumas outras marcas da faixa de preço, pelo menos a Cooler Master sabe como instalar e configurar corretamente este sensor em um mouse.

Já o próximo teste é o teste de aceleração. O ideal é que se o mouse for movido rapidamente 10 cm para a direita, ele tenha o mesmo resultado que teria se fosse deslocado lentamente a mesma distância. 

Caso o mouse for mais longe do que o necessário no movimento rápido, é dito que o mesmo tem aceleração positiva. Caso a distância que ele percorreu seja menor no movimento rápido, ele tem aceleração negativa.

E se o mouse parou no mesmo lugar que antes, ele não tem aceleração nenhuma, o que caracteriza um resultado perfeito.

Sendo que este foi o resultado do Lite S usando o mousepad Fatality Supreme Cat, em 125 Hz:

E é aqui que o Lite S, assim como diversos outros mouses baratos que analisamos, falham bastante. O que ele possui não é aceleração, ele simplesmente é incapaz de rastrear movimentos rápidos, o que lhe torna extremamente desaconselhável para jogos que requerem precisão e movimentos rápidos.

Além disso, é possível ver que o movimento inferior foi direcionado para baixo, ou seja, quando você faz um movimento muito rápido para uma direção, ele pode ir para outra, algo que se confirma utilizando o mousepad ASUS ROG Whetstone, onde o mouse começou ir para a direção contrária quando movido rápido demais:

A superfície que proporcionou o melhor desempenho para este mouse, foi o mousepad ZOWIE P-TF, mas ainda assim não é um rastreio perfeito e as linhas demasiadamente retas nas contagens superiores, indicam que este mouse possui prediction (correção de trajetória), o que também prejudica jogadores de FPS.

Com base nestes dados, podemos afirmar que o Lite S é um péssimo mouse para jogadores de FPS, o que não é nenhuma novidade, pois a Cooler Master projetou o MasterMouse S para estes jogadores mais exigentes, enquanto o mouse do combo Lite L possui o sensor AVAGO 3050, que não é um sensor topo de linha, mas é aceitável.

O Lite S é péssimo para FPS, mas isto não é novidade

Diferente de seu irmão MasterMouse S, o Lite S não possui software, não pode ser configurado em DPIs além dos padrões de fábrica (500-1000-2000), e nem operar acima de 125 Hz (salvo se usado um driver para forçar isso), além de não ter escolha de cores (branco é a única opção), então este segmento da análise termina por aqui.

AVALIAÇÃO:

Construção Externa

Construção Interna

Desempenho

Preço

Conclusão

O CM MasterMouse Lite S (que não é o mesmo mouse que o do combo MasterKeys Lite L!) é uma versão consideravelmente mais básica do MasterMouse S, com um nível de precisão muito inferior, mas mantendo a qualidade em sua construção interna e externa, estando acima de concorrentes de marcas como C3Tech, Fortrek, Kolke, OEX, Multilaser e Vinik, o que sinceramente não é difícil.

Ele também está anos luz à frente da ☠@✴#i☠ que é o CM Storm Devastator, assim como também é mais caprichado em seus componentes do que o CM Storm Octane, embora seja inferior no sensor.

Seu preço, na faixa de R$ 80, é seu ponto fraco. É um preço próximo demais ao de mouses superiores, tal como o Azio EXO1, CM Xornet II, Dazz Smilodon, Redragon Phoenix e Tt eSports Talon. Jogadores de FPS devem optar por um destes ou pelo seu irmão MasterMouse S.

O Lite S só é aconselhável para jogadores de MOBA e jogadores casuais, que devem valorizar conforto e durabilidade acima de precisão. Para o público que se encaixa nesta descrição e quer um mouse resistente sem gastar mais que R$ 80, ele pode ser uma escolha adequada, embora não o considere a melhor.

O problema, na minha opinião, é que o mercado já está saturado de mouses assim. Mouses como o Cougar Minos X1, Dazz Kirata, Redragon Nemeanlion e Sharkoon Shark Force, possuem estes mesmos pontos fortes e fracos. E há o monstro que é o Zalman ZM-M250 tendo uma construção similar ao Lite S pela metade do preço.

Está faltando um mouse no mercado brasileiro que seja adequado para jogadores de FPS e custe na faixa dos R$ 80 ou abaixo, basicamente algo similar ao Motospeed V30 (que é vendido por importadores na faixa dos R$ 150, um preço o qual ele não vale), mas vendido no Brasil. Infelizmente, no momento não há nenhum.

PRÓS

  • Acabamento de ótima qualidade

  • Ótima construção interna

CONTRAS

  • A confusão de nomes pode levar o público a pensar que este seja equivalente ao mouse do combo MasterKeys ou ao MasterMouse S

  • Péssima precisão devido ao sensor Pixart PAN3509

  • Preço próximo demais ao de mouses superiores




Source link

Comentários